21° Arrastão Ecológico conta com 400 voluntários para limpar o Piracicaba

21° Arrastão Ecológico conta com 400 voluntários para limpar o Piracicaba

Evento ocorreu na manhã deste sábado e percorreu cerca de 20km do rio. Objetivo é recolher lixo e conscientizar sobre a preservação do manancial.

A 21ª edição do Arrastão Ecológico contou com 400 voluntários que recolheram lixos e entulhos ao longo do Rio Piracicaba neste sábado (28). Parte do grupo, que saiu píer municipal em frente ao Largo dos Pescadores, percorreu cerca de 20 quilômetros por água e outra parte ficou responsável pelas margens. O objetivo da ação é conscientizar a população para a preservação do manancial que corta Piracicaba (SP).

Foram plantadas 21 árvores ao longo do percurso do Arrastão Ecológico de Piracicaba (Foto: Vera Graça/Roncon&Graça)

“O evento foi muito bom. Sete embarcações fizeram o trajeto pelo rio e a maioria dos voluntários fez toda a parte da estruturação dos caminhos. Havia duas trilhas diferentes que poderiam ser feitas pela orla para catar o lixo”, relatou a secretária de Turismo, Rose Massarutto. No decorrer do percurso foram plantadas 21 árvores, em homenagem ao número de edições do evento. A primeira foi logo na saída, no píer.

O Arrastão Ecológico no Rio Piracicaba foi idealizado em 1995 pelo navegador José Luiz Guidotti, que tinha ao seu lado como colaborador, o atual coordenador do evento, José Carlos Masson. Com o passar dos anos, o Arrastão ganhou mais adeptos e conta cada vez mais com a participação de estudantes, funcionários de grandes empresas e de grupos.

Durante a limpeza na manhã deste sábado, os voluntários encontraram plástico, madeira, panos, latinhas e entulho. “Foi maravilhoso, recolhemos muito lixo. Mas o que mais foi retirado foi garrafa pet”, falou Masson. Quatro pontos de apoio foram instalados no decorrer do percurso e o material foi carregado por caminhões.

Moradores limparam a margem do Rio Piracicaba na manhã deste sábado (Foto: Paulo Silva/Paulinho Fotos)“Não dá para limpar tudo, o que nós fazemos é simbólico, mas já é uma grande ação, especialmente para que a gente possa sentir a responsabilidade que cada um tem em preservar o nosso rio e outras fontes de água, especialmente nesta época de crise hídrica”, completou Rose.

A ação é resultado de uma parceria entre poder público, iniciativa privada e a comunidade. O evento teve apoio do Instituto Formar, da MRV e do Grupo de Escoteiros, que compareceu em peso. “É uma ação que deve sempre ser reproduzida durante o ano porque a preservação do rio depende de nós. Mas é importante também manifestar publicamente para que as pessoas despertem a consciência”, finalizou Rose.